blogdosperrusi
DimasLins
VIDA

VIDA

mar 04

A vida é impressionante como segue Indiferente às vezes ao que pensamos dela Segue como tem de ser… Trôpega ou fagueira Doce ou salgada Tensa ou singela Alvoroçada ou serena…   Passa o tempo… Passa de novo Passamos juntos   E eis que descobrimos Que o Ou Na verdade é E Um conectivo Não um exclusivo   Somos tantos e todos que passaram por nós Que amaram por...

“CATIVEIRO SOCIAL”

“CATIVEIRO SOCIAL”

fev 18

Assisti ontem ao desfile da vice-campeã Tuiuti, ansiosa pra ver a força do samba cantado com gana e alegria e assim ocorreu. Ansiava para ver também as fantasias, sobretudo a do vampiro presidente, a dos manifestoches (ou manifantoches), a dos operários com suas carteiras deterioradas. Afinal, foram as que ganharam destaque na nossa vontade de gritar contra a injustiça e tudo o que estão...

SOBRE LIBERDADE, AMOR E CUIDADO

SOBRE LIBERDADE, AMOR E CUIDADO

jan 21

Difícil falar sobre como pausas pro lanche no trabalho às vezes podem nos colocar asas à frente, bem ali, pertinho, quase à mão. Exclamo: _ Adoro passarinhos! E nessa época digital, tento captar a imagem querendo uma foto pra série Olhos no Olhos. O dono da barraca diz todo orgulhoso: _ Eu tenho um Vem-vem, Dona Magna! Fico um pouco sem jeito por cerca de um segundo e disparo: _Solte o...

ESPERANÇA EM BROTOS

ESPERANÇA EM BROTOS

set 15

Anteontem encontrei a esperança Nos olhos brilhantes de jovens indignados Pelo cinza de alguns   A esperança caminhava: No nervosismo ansioso Na fala apressada Na coerência do justo Na miragem da beleza Que não se pode conter Nem expulsar a golpes de jatos d’água   Esperança que se veste de cuidado Atendendo pelo nome de Ética Expulsando o ranço dos que teimam em separar...

FIM…

FIM…

ago 07

Caiu uma árvore em cima de um carro Chora o dono Morre a árvore que tentava sustentar-se em pé Como convém a sua espécie   As raízes não puderam reter o asfalto Que abafa a seiva Comprime e se estende até sufocá-la   Disseram que a árvore era velha Mundo esse em que vivemos… Culpam a idade Pela morte que chega   O fim existe para tudo Ou quase tudo Por isso fico...

ISSO…

ISSO…

jul 19

Então é isso… O silêncio calou o eloquente O silêncio quis ser eloquente Mas o ouvido se vestiu de coração E só fez pulsar Pulsar E pulsar… Até o nunca mais acabar   Até o celular tocar Até a luz acender Até o medo correr Até a boca falar Até o soluço cessar Até a mão apertar Até o abraço ocorrer Até o “te amo” dizer Até o beijo...

AUTÔMATO

AUTÔMATO

jun 27

Um gosto de tristeza Me demora na boca Não adianta gargarejo Bocejo Nada mais   Um jeito de tristeza Me demora na boca Silenciando minha língua Dedos Tudo o mais   Um gosto Um jeito Um desacerto… Não respiro mais… O ar apenas entra E sai

RESILIÊNCIA

RESILIÊNCIA

jun 25

Momentos de fotografia colhidos a dedo Dedo que clica e rearruma o desarranjado   Sim, uma sertaneja passeia em terras urbanas Fora do lugar Sim, uma sertaneja mora em terras urbanas Cheias de gente Numa terra prometida há muito tempo atrás (Como convém a um pleonasmo)   Não vou me falar das dores acumuladas, cheiradas Acarinhadas Como a temer não tê-las Quero lembrar as raízes...

NA BRINCADEIRA DO TEMPO…

NA BRINCADEIRA DO TEMPO…

nov 07

Ela encorajava o coração com sonhos tolos Menina…ainda brincava de bonecas, pega pega, enquanto estudava assuntos de muitos. E ele escondia-se atrás… Lá Na última penúltima fila de um colégio que não existe mais. Muita coisa não existe mais. O que se sabe é que o tempo passou… O vento apareceu Trazendo pra perto a memória, nomes, fragmentos, portais de sonhos ao...

PARA ARSENIO…

PARA ARSENIO…

out 18

Hoje é um dia para falar de gratidão. Esta mesma que nutro pelos que tive a oportunidade de conhecer nesta vida. Este espaço verde já me rendeu muitas sementes e uma das mãos que as plantou, várias e várias vezes, foi Arsenio Meira de Vasconcellos Júnior, nosso querido Devorador de Poesia. Com ele, aprendi sobre as palavras generosidade e gentileza. Sem mais poder dizer e hoje,...

Página 1 de 1612345...10...Última »