blogdosperrusi
DimasLins
SÓ FLOR

SÓ FLOR

nov 16

A cabeça anda cansada, já não aguenta tanta tecnologia. Liga o monitor e aquela dor rotineira a visita. Os livros andam com as letras cada vez menores. “Melhor rever os óculos, devem estar desatualizados”, teoriza para si mesma. Mas o fato é que não aguenta nada, absolutamente nada. Cansou de pensar. E foi aí que pensou como seria um dia sem pensar:

Um dia onde as gotas de chuva pudessem inundar o quintal e ela nem percebesse a juriti procurando o ninho encharcado.

Um dia onde as contas voltassem pro remetente e este se encarregasse de quitá-las, pois o destinatário estaria num destino impensante.

Um dia onde dormisse horas a fio e quando acordasse nem lembraria de existir, simplesmente, seria.

Um dia onde as pessoas não precisassem de conselhos nem lhe procurassem para respostas.

Um dia onde vomitasse todas as dores e não lhes retornassem ao apetite.

Um dia onde escorregar no erro fosse normal…sem culpa, sem dor.

Onde as lições fossem bem-vindas e os fracassos, festejados como marcas da tentativa.

Um dia onde os sorrisos fossem fora do comum…feito bobos, loucos, pouco convencionais.

“Ah, razão que aprisiona os sentidos!”

Um só dia…

Um dia: onde, porque o quando não tem lugar para quem não pensa.

Um dia sem regras gramaticas nem ortográficas para não se obrigar a ter ideias sem acento…

Sim, um dia sem idéias.

Só flor, fruto e cor.

7 comentários

  1. Dimas Lins
    1

    Magna,

    Que belo texto. Lembrou-me, por outras vias, Chico Buarque:

    Pra mim, basta um dia
    Um dia pra aplacar a minha fantasia

    Depois de uma crise reumática, vou voltando ao computador e vim logo aqui para te ver.

    Abraços,

    Dimas

  2. Paulo Fernandes
    2

    Magna,
    Fazia já um certo tempo que não entrava no blog. Resolvi fazê-lo hoje, depois da festa à fantasia. Mas posso dizer que é um belo texto. O quanto me orgulha ser seu amigo-irmão. Quanta sensibilidade. Um beijão e até o Lenine.

  3. Magna Santos
    3

    Dimas, fiquei curiosa quanto à música de Chico.
    Vai voltando sim, nós leitores teus agradecemos. Vou depois passar no Estradar, ok? Obrigada pelo carinho e atenção.

    Paulinho, até o Lenine, quando então saberei, ao vivo, das peripécias de um certo espanhol com sua Carmen. Misericórdia! Trate de me mandar a foto, viu.

    Beijos.
    Magna

  4. tesco
    4

    É, tem dia assim, em que a gente não quer nem sentir. Pouca similaridade, mas me lembrei de um 'poemeu' (como diz o Millôr):
    "NÃO QUERIA…
    Estar assim… tão só,
    E ser assim… tão fraco,
    Ficar assim… tão pouco.
    Morrer assim… tão… pó!"
    Mas essa ideia de 'não ser' persegue a nossa imaginação – sim, não pensar equivale a não ser – e é algo até difícil de se pensar: Se não somos, o que somos?
    Porém, a ideia de fracasso deve ser abandonada, fracasso é apenas uma das etapas np caminho para o sucesso.
    _Beijos.

  5. Magna Santos
    5

    Roberto, beleza de "poeseu".
    A ideia do fracasso talvez seja importante para não esquecermos da humildade…tão necessária a todos nós. Lembro de uma antiga crônica de Samarone(Estuário), falando de um encontro com Raimundo Carrero, quando este trouxe uma ótima reflexão sobre o 'direito de fracassar'. Excelente crônica. Caso queira, te repasso por email(acho que ainda a tenho).
    Beijo.
    Magna
    Obs.:Dimas, lembrei do "papai" google e descobri a música de Chico. Matei minha curiosidade.

  6. Marina
    6

    Isso me lembrou um pouco Clarice Lispector. Lindo, Magna. Quero esse dia pra mim.

  7. Magna Santos
    7

    Vamos atrás dele, Marina, do dia.
    Beijos.
    Obrigada.
    Magna

Plante a sua semente para Magna Santos

DimasLins