InscritosEmPedra
TorcedorCoral
PASSOS

PASSOS

dez 10

No dia que foste embora
Pegadas ficaram em mim
Nada de apenas chorar
Queria-te vivo, seguindo-me os passos

Aconselhei-me com o vento
Que redemoinhou, respondendo

Levantou casas
Peito
Bolas
Foi-se embora chupeta
Carrinho
Canção
Foi-se embora
Carinho
Confeito
Algodão

Foi-se embora, pai

Restou-me tua esperança de caminhar…
Embora descalço
Embora cansado
Embora, pai

Peço-te a permissão
De calçar-me
Nos teus passos
É tudo o que tenho:
Teu querer
Meu querer
Nossos laços

E quando um dia
De novo
Te encontrar
Levarei crisântemos colhidos
No monte alto

Para onde subirei
Calçando teus sapatos

Para Dimas Lins

Magna Santos

8 comentários

  1. Dimas Lins
    1

    Magna,

    Foi com emoção que li, em primeira mão, teu poema. Não foi à toa que o reproduzi no Estradar, onde explico, em nota, a razão destas palavras.

    Tentarei, empurrado pela força de tuas rimas assimétricas, retomar o texto que não pude terminar.

    Abraços e obrigado,

    Dimas

  2. Magna Santos
    2

    Eu é que te agradeço, Dimas. Muito obrigada mesmo.
    Grande abraço!
    Magna

  3. Pachelly Jamacaru
    3

    Dentre tantas coisas lindas que já vi sua, esta, não que seja a mais, mas ela é simplesmente demais!

    E, quero aqui te desejar um lindo Natal, no sentido mais belo de a pessoa se encontrar!

    Obrigado por sua amizade, ainda que por enquanto virtual, mas a tenho real!

    Um FELIZ ANO NOVO-NOVÍSSIMO!

    Bjos
    Pachelly

  4. Marina
    4

    Que lindo. Mas nada disso vai embora; fica na lembrança. A vida é não esquecer. Que seria de nós sem as nossas lembranças?

    Beijos, Magna.

  5. Magna Santos
    5

    Pachelly, meu generoso e atencioso amigo, é sempre uma alegria receber teus comentários! O "culpado" por este poema é Dimas Lins que compartilhou comigo uma história muito muito tocante. No blog dele Estradar(link no Sementeiras) ele fala melhor. Que o Menino Jesus te proteja, te ilumine sempre. A você e sua família.

    Marina, certamente, as lembranças nos constroem também. Ai daquele que não tem saudade. Mas, seguir adiante é fundamental.

    Obrigada e beijos.
    Magna

  6. Magna Santos
    6

    Ah, Pachelly, no Estradar, Dimas publicou uma foto simplesmente belíssima! Lembrei de você.

  7. Anonymous
    7

    Uma das coisas mais lindas e sinceras que já li, tia…

    Admiro demais a força, a coragem e a persistência de vcs, sobretudo de tia Dilza…

    Saudades de todos. =)

    =*

    Beijos!

    Iamara

  8. Magna Santos
    8

    Iamara, que bom que gostou. Para mim também foi muito bom escrevê-lo.
    Obrigada.
    Beijos.
    Magna

Plante a sua semente para Marina

InscritosEmPedra