blogdosperrusi
TorcedorCoral
VENTO

VENTO

jul 27

O vento fez festa no dia. Vento de agosto ainda em julho, despenteando as pessoas na rua. O cabelo molhado pesa na sua brincadeira, mas desassossegado tenta e consegue.

O vento também levantou os jornais de quem ainda tentava dormir na calçada, desmantelando a madrugada, já manhã, de quem sonhava em meio a pesadelos reais.

Vento de agosto em julho anuncia uma chuva fina que cai só para sujar os vidros e melar a tarde de quem esperava o sol.

Vento que sopra pra longe também os desgostos de quem se destempera, porque a noite veio cedo demais.

Vento sopra pra longe e traz para perto o ar renovado. Para dentro dos pulmões daquele que conta piada, como quem conta verdades ancestrais. Pulmões arejados com gargalhadas antigas.

Assim fica fácil ser feliz sem motivo…

Esse vento que leva e traz…

11 comentários

  1. Luna Freire
    1

    Que lindo!!!
    Deu vontade de vento… e de vôo!

  2. Magna Santos
    2

    Então, voemos!
    Beijo.
    Magna

  3. Dois Rios
    3

    Que belezura, Magna! Você é uma artesã de palavras.

    O vento é isso tudo mesmo. É meio senhor de si. Leva, traz, brinca, implica, faz barulhinho bom, varre, suja e até faz voar…

    O lago não sabe
    até que chegue o vento
    quantas ondas tem.
    David Rodrigues

    Beijo,
    I.

  4. Domingos
    4

    Bravo Magna ! Bravíssimo. E mais não digo. Abraços.

  5. Magna Santos
    5

    Pescadora, é muito bom contar com tua pescaria aqui também. Q
    Que coisa linda, Inês, essas palavras de David Rodrigues.

    Meu irmão mais velho, você está bravo por quê? "Se avexe não que amanhã pode acontecer tudo, inclusive, nada".

    Obrigada, amigos.
    Abração.
    Magna

  6. Dimas Lins
    6

    Magna,

    Belíssimo. Ia deixar uns versos para celebrar esse vento, mas transformei-os em tempestade. Os destroços, publico em meu site mais adiante.

    Abraços,

    Dimas Lins

  7. Magna Santos
    7

    Obrigada, Dimas. Quero ver depois a 'Tempestade' publicada. Poesia às vezes nasce assim…de mansinho, mas persistente sempre.
    Abração!
    Magna

  8. João Carlos
    8

    Comovente como o vento!

  9. Magna Santos
    9

    Obrigada, João.
    Abraço.
    Magna

  10. Josias de Paula Jr
    10

    Depois do muro, da desconfiança e ignorância de nós próprios, que nos impede de voar: o vento que traz renovação!
    Curiosamente, dia desses publiquei um poema lá no Inscitos em que o vento era o portador do acaso e sua sabedoria…
    Lindo texto, Magna!

  11. Magna Santos
    11

    Sim, Geó, lembro do teu vento avassalador de saias e outras coisas mais, não é verdade?
    O vento traz mesmo isto: renovação, mesmo os que levam nomes de tempestade.
    Obrigada.
    Beijo.
    Magna

Plante a sua semente para Dimas Lins

InscritosEmPedra