InscritosEmPedra
TorcedorCoral
DEVOÇÃO

DEVOÇÃO

fev 29

Basta meu chapéu Minhas coisas A ti apresentar   Basta tua presença… Tua presença Me basta   E se não me bastasse tudo nesta escassa vida De nada me restaria Do muito que aprendi ser nos calos dos meus joelhos   Sim Tenho duas mãos E dois olhos E tu tens a mim e o infinito   Não te derramo lágrimas em vão Nem te aguardo nenhuma fala Quero apenas dizer-te: Sou...

CICLO

CICLO

fev 22

Joguei minhas cinzas na rua Serão levadas pela chuva A mesma que nutre a terra Escorre para o rio Que deságua no mar   As cinzas Todas lavadas   …   Surgirei como flor Na imensidão do campo Pequenina…   Então minhas sementes Irão pelo vento Passarinho … E deitarão a terra E voltarão à...

TRAÇOS

TRAÇOS

fev 14

Ainda não sei sobre estilo Traçado Nome Ainda não sei de nada   Contento-me em saber que estou viva Estou em dia Com minhas interrogações Apreciando os sabores Azeitando dissabores No verdume dos meus cabelos   Meus pés são de arado Como minhas mãos   Acordo com o sono E vejo relâmpagos Rasgando o céu… A escuridão vai embora E fico qual Gibran A correr na...

AGONIA

AGONIA

fev 04

Esse céu nublado que não deixa A lua aparecer por entre as nuvens Acolher os meus antigos queixumes Apreender os mais sinceros perdões São Jorge não é a sombra que penumbra O dragão há muito tempo fugiu A lança no meu coração partiu Espinhos já invadem minha cama … Levanto para dormir Acordo para sonhar Deito para falar Espero pra não fugir Choro o que não sei E o que...

DO NÃO DITO

DO NÃO DITO

jan 26

Às vezes me invade este sentimento do mundo… Calo, querendo falar Choro, buscando sorrir Às vezes me invade este sentimento do mundo Igual ocorre com os poetas… Doces poetas… Quando morrem, deixam saudades Quando vivos Plantam esperanças De poeta, sou nada Sem a mão que me acompanha Às vezes me invade este sentimento do mundo E percebo que nada sou Ou … Não me...

DESPERTAR

DESPERTAR

jan 22

Nesta manhã, resolveu que adiaria seu despertar para não passar mais um dia como sonâmbula. Deita-se novamente. Espicha-se na cama como gato, ronrona e tenta serenar a cabeça que teima em pensar. Adormece. Acorda com os dois pés fora da cama, pois nunca foi chegada a superstições. Tropeça no brinquedo esquecido pelo filho na noite anterior, quando brincou até os dois desmaiarem de sono....

Página 7 de 26« Primeira...56789...20...Última »