blogdosperrusi
TorcedorCoral
UMA DESPEDIDA

UMA DESPEDIDA

jun 19

Sim, saudade não apenas se diz, é desenhada numa folha branca: pinta-se de vermelho, desenha-se duas meninas de mãos dadas…muitos corações e palavras doces que nem pirulito de morango. A menina maior disfarça o aturdido. Tenta pensar e falar algo decente… Que nada! Um abraço diz mais do que tudo. Há mais covardia no não dito que coragem. Há mais saudade. Casinha desmanchada,...

“O MENINO BALÃO”

“O MENINO BALÃO”

jun 09

Ontem vi um menino balão subir pelas mãos de uma menina-ponte. Parecia que o céu era muito. Mas, aos pouquinhos, chegaram lá e fizeram pontes entre adultos e crianças embevecidas. Um de 7 meses se aventurava nos braços do pai, a febre não era suficiente para deixá-lo desanimar. E uma fila cheia de pessoas interessadas em saber o que o menino balão tinha a dizer. A verdade é que a...

FOGO-PAGÔ

FOGO-PAGÔ

abr 29

Sabiá chorou Enquanto o cajueiro tentou em vão sustentar Anos de seiva Vigor a queimar   Sobrou pro cedro Massaranduba Angelim Mangueira, mangue Coqueiro Alecrim Sobrou a falta do verde do lugar   Mãos que não plantam Assassinam, queimam Sem atinar: Bem-te-vi Cobras, largatos, cardeais Tatus, timbus Juritis e preás Gato do mato, caranguejos… Fauna, flora… Chora, Rio...

OUTRA

OUTRA

fev 22

Vê-se como os que escuta A esvaziar-se do que não é seu Metralha palavras para não acertar o alvo Que nem enxerga Ou se enxerga Engana-se Adia-se Por mais um instante   O tempo há de passar E ele não há de vir   Deita em berço esplêndido E acaricia a almofada que não é sua … E ele escuta o silêncio Que nunca está...

FLOR

FLOR

fev 02

Uma flor está fora de lugar Alguém ali a pôs Para tirar fotografia E se declarar E declamar E me ver fazer poesia Uma flor está fora de lugar Como tantas coisas nesse amado mundo Mas, a flor… Sim, a flor Deita, enquanto balança uma menina… E ela sorri E cantarola sonhos de amor E dedilha no violão uma cantiga improvisada Enquanto a flor Perfuma o chão do jardim … E...

SURREALIDADE

SURREALIDADE

jan 28

Minha poesia anda preguiçosa Espera uma brecha após o cochilo da tarde Está cansada de pensar, de falar Por isto, sente e emudece Minha poesia anda egoísta e alienada Não quer saber de catástrofes nem de prefeituras Ela não quer saber Quebrou a tv, queimou os jornais E saiu correndo ao pressentir os gritos do vizinho Correu de ouvidos tapados Olhos fechados Cabelos em desalinho … E...

Página 3 de 2712345...1020...Última »